Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer e Braskem apresentam

linha_branca.png

 

 

 

INTERCENA

o primeiro mercado profissional

de artes cênicas do sul do Brasil

 

O elemento primordial do projeto é a reinvenção de novos mercados para a artes, e a qualificação do setor, a fim de garantir sua adaptabilidade e  consequentemente a sobrevivência e a distribuição da produção de artes cênicas pelos territórios nacionais e internacionais.


A proposta de impacto do INTERCENA não vem apenas da sua originalidade, mas sim de um processo que leva a uma nova maneira de pensar e agir. É nesse sentido que o projeto é considerado como uma “Liderança” e uma “Diferenciação”, dentro de inúmeros projetos culturais no país. O seu ineditismo caracteriza uma potência e representa um tipo de atuação diferenciada para o estado Rio Grande do Sul, permitindo um espraiamento de dispositivos de  relacionamento em outros estados do Brasil e outros Países

 

Os aspectos relacionados à economia da cultura, geração de emprego e renda, fortalecimento da cadeia produtiva das artes cênicas e a formação de mercado para a cultura compõe a estruturação conceitual do INTERCENA, que valoriza e promove o desenvolvimento da cultura e das artes cênicas.


O INTERCENA antecipa mudanças necessárias no Brasil, pois rompe com paradigmas atuais. A BRASKEM S.A.,

é a patrocinadora exclusiva do INTERCENA.

A compreensão sensível e responsável da empresa, que é a maior patrocinadora desse segmento artístico no estado, é o que permite a realização desse projeto estratégico para o Rio Grande do Sul.

 

Projeto cultural promove a autonomia ao buscar melhores condições para os artistas cênicos em toda cadeia produtiva. Portanto contribui de forma significativa ao aprofundar a discussão de tópicos como: difusão e circulação da produção de artes cênicas, formação de público, fomento ao intercâmbio nacional e internacional, investimento na qualificação artística, técnica e de gestão, para a difusão da
imagem do Rio Grande do Sul no Brasil e no exterior, além do impulso nos mercados de trabalho e economias locais, proporcionado pelos Festivais de Artes Cênicas.

 

 

 

 

A primeira edição do INTERCENA potencializará a discussão de um pensamento cumulativo e sistemático a respeito da internacionalização das artes cênicas, assim como a reflexão, mobilização e sistematização de um pensamento a respeito dessa fruição no território nacional e internacional. A proposta do projeto cultural INTERCENA, vai realizar uma
capacitação para a Internacionalização de vinte e duas cias de artes cênicas do estado do Rio Grande do Sul, uma Rodada de Negócios com mais de trinta curadores e programadores de festivais nacionais e internacionais, promoverá o 1o Seminário Internacional Sobre Festivais de Artes Cênicas e Apoio para Cias de Artes Cênicas ou Festivais para o intercâmbio das produções cênicas. Esse conjunto de ações fortalecem o desenvolvimento sustentável da cadeia produtiva de artes cênicas.

 

Acreditamos decisivamente que o INTERCENA contribua para a difusão e circulação da produção de artes cênicas, promovendo um abrangente trabalho de formação, fomentando o intercâmbio regional, nacional e internacional. O projeto agrega qualificação artística, técnica e de gestão e contribui para impulsionar mercados de trabalho e economias locais. Ele tem a capacidade de potencializar a interface gerada com outros setores da economia e da sociedade, tais como turismo, educação, tecnologia, comunicação e ação social.

 

O INTERCENA é financiado através da lei de incentivo a cultura do governo do estado, tem o apoio cultural do Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura (NECCULT), ambiente interdisciplinar de ensino, pesquisa e extensão vinculado à Faculdade de Ciências Econômicas da UFRGS, do Ministério da Cultura, através da Secretaria da Economia da Cultura e do Observatório dos Festivais, espaço de informação e reflexão sobre os festivais de artes cênicas no Brasil.

 

 

Alexandre Vargas
Diretor

linha_branca.png

 

 

 

INTERCENA

Projeto referencia para o setor

 

O Rio Grande do Sul tem hoje uma das produções mais vigorosas do cenário cultural brasileiro. Os espetáculos cênicos produzidos neste estado têm grande qualidade artística e técnica, resultado do amadurecimento de seus artistas e sua cadeia produtiva. Sempre é um grande desafio para esta rica produção sair de suas fronteiras e se espalhar pelo Brasil e pelo mundo, obstáculo, aliás, enfrentado hoje por todos os grupamentos artísticos brasileiros. A circulação, nacional e internacional, é fundamental para a qualificação da produção, para a sustentabilidade dos projetos artísticos e para o fomento e potencialização de intercâmbios e trocas.

 

Sobre a internacionalização, o diagnóstico que temos hoje no Brasil sobre a presença de espetáculos teatrais brasileiros no exterior é certeiro e definitivo: existe um abismo entre a nossa volumosa, potente e diversa produção e a pequena circulação dessas obras em outros países. A inexpressiva presença no exterior é conflitante com a visão que o mundo tem hoje de nosso país. A baixa incursão do teatro brasileiro no mercado internacional tem algumas e complexas explicações. De maneira sintética, podemos citar a questão do idioma, o pouco planejamento dos grupos, a inexistência de plataformas de aproximações entre programadores internacionais e a produção local e a falta de políticas públicas e projetos nesse setor que, de maneira sistemática, impulsione o teatro realizado no Brasil para o mercado internacional.

 

O projeto INTERCENA assume papel de relevância na construção de pontes e redes de contatos da produção gaúcha e a plataforma de circulação representada pelos festivais de artes cênicas do Brasil e do exterior. O Projeto amalgama três pontos fundamentais para a potencialização da circulação: capacitação, reflexão e conexão. Ao apresentar aos programadores e curadores um conjunto de espetáculos de qualidade, capacitados para a circulação, e também apoiar de maneira efetiva a viabilização da difusão nacional e internacional, o projeto contribui de forma fundamental para a aproximação desses lados complementares da cadeia da produção artística.

 

Ao apresentar aos festivais uma produção potente, diversa e com experiência de circulação, propicia a todos os envolvidos fortes e importantes benefícios. Para as companhias e grupos, essa participação abre uma nova janela de possibilidades artísticas. Encontrar outros públicos, perceber a recepção da obra em diferentes culturas, estabelecer contato e intercâmbios com artistas de outros estados e países, conhecer experiências de convívios propiciadas por festivais internacionais, para citar algumas, são sempre experiências artísticas e humanas significativas e inovadoras. Os relatos que temos dessas incursões internacionais de coletivos brasileiros que têm essa oportunidade é sempre de que tal experimentação é um divisor de águas, propiciando importantes transformações, impulsionando novas criações e futuros projetos de circulação e intercâmbio. Para os festivais, é também uma oportunidade especial, uma vez que sempre querem incluir em sua grade de programação o teatro brasileiro, conhecido por sua diversidade, qualidade e apuro artístico. A facilitação da curadoria e das condições de apresentação proporcionadas pelo INTERCENA trazem para os festivais nacionais e internacionais a possibilidade de construção de uma ponte artística fundamental para o intercâmbio de culturas.

Ganham os fazedores, com mais uma possibilidade de sustentabilidade econômica e de intercâmbio artístico. Ganha o Estado, pois pode apresentar para o mundo uma cena artística inovadora e criativa, além de gerar valor econômico nas suas exportações. Ganha o público que terá uma produção cada vez mais sofisticada e complexa resultante do contato de nossos artistas com a produção mundial.

 

Nesse contexto, a existência de um projeto como o INTERCENA merece ser comemorada, aplaudida e transformada em referência do setor.

 

 

 

Marcelo Bones

Consultor Nacional e Internacional de Festivais